[Odontologia no Ar] Os fumantes têm 85% mais chances de desenvolver periodontite do que os não fumantes

[Odontologia no Ar] Os fumantes têm 85% mais chances de desenvolver periodontite do que os não fumantes
Odontologia no Ar

 
 
00:00 / 5:04
 
1X
 

Mesmo com bons hábitos de higiene bucal, essas pessoas têm maior risco de complicações causadas pela periodontite e, em casos mais graves, quando é necessária cirurgia para correção das gengivas ou do osso, o fumo pode interferir diretamente na cicatrização.

 periodontite é uma doença inflamatória crônica, que afeta a gengiva e o osso, que são tecidos que dão suporte aos dentes. Essa infecção é causada por bactérias e, se não for tratada corretamente, pode levar até mesmo à perda de dentes. 

Mas o problema pode ser ainda pior em pessoas fumantes, segundo a professora Marinella Holzhausen Caldeira, da Faculdade de Odontologia (FO) da USP, convidada do Momento Odontologia desta semana. “O tabagismo enfraquece o nosso sistema imunológico, ou seja, pode diminuir a proteção do nosso organismo no combate contra as bactérias que causam a periodontite.” 

Além disso, ela lembra que “a incidência de periodontite em fumantes é muito alta”. Segundo a professora, os fumantes têm 85% mais de chances de desenvolver o problema do que uma pessoa não fumante. Outro fator de risco neste caso é que “fumantes podem ter resultados desfavoráveis no tratamento da periodontite”

A prevenção da doença depende da adoção de bons hábitos de higiene oral, como escovar os dentes, usar fio dental e fazer  visitas frequentes ao dentista. Mas a professora ressalta que o importante é não fumar. É que “mesmo com bons hábitos de higiene oral, os fumantes apresentam maior risco de perder dentes por periodontite”. 

Já o tratamento pode ser simples e envolve a raspagem da raiz do dente ou remoção de tártaro. Além disso, os dentistas também podem prescrever bochechos ou antibióticos. Mas, em casos mais graves, são necessárias cirurgias para correção das gengivas ou do osso, prejudicados pela periodontite. Nesses casos, a professora destaca que “o fumo interfere diretamente na cicatrização”. 

O tabagismo pode até atrapalhar o descobrimento da doença, já que “o fumo esconde o primeiro sinal da inflamação da gengiva, que é o sangramento”. Por conta disso, a periodontite pode progredir de uma maneira silenciosa em fumantes. Apesar disso, é possível perceber outras alterações, como mau hálito, mudanças na posição dos dentes, dor e até mesmo a sensação de que os dentes estão mais compridos, “por conta da retração das gengivas”. 

Para evitar problemas como a periodontite, os fumantes precisam tomar alguns cuidados específicos. A professora ressalta que “a escovação dos dentes, logo após fumar, pode diminuir um pouco as manchas nos dentes e também o mau hálito” comuns em fumantes. Mas lembra que isso não é suficiente para bloquear os efeitos sistêmicos do cigarro. “A melhor solução para a saúde bucal, e geral, continua sendo parar de fumar.”


Produção e Apresentação: Rosemeire Talamone

CoProdução: Alexandra Mussolino de Queiroz (FORP), Letícia Acquaviva (FO), Paula Marques e Tiago Rodella (FOB)

Edição Sonora: Gabriel Soares

Edição Geral: Cinderela Caldeira